595 mil portugueses com mais de 80 anos

As estatísticas no Japão causaram perplexidade: Há 10 milhões de idosos com 80 anos ou mais. Vamos comparar com Portugal.

Por cá, a estatística ainda não está neste ponto, mas para lá caminha. Dados do Instituto Nacional de Estatística permitem a comparação: no final de 2014 havia 595 mil portugueses com mais de 80 anos, 5,7% da população. Continuando o frente-a-frente, no ano passado, o número de idosos com mais de 100 anos em Portugal superou pela primeira vez a barreira dos 4 000.Para se ver a velocidade a que estamos a ficar mais velhos, o número quase duplicou desde 2011 e actualmente, dos 4 066 residentes no país com mais de cem anos, 1298 são homens e 2768 mulheres. É certo que estão longe dos 61 mil centenários japoneses, mas a percentagem é pouco diferente. Por cá, representam 0,39% da população e no Japão 0,48% .

O envelhecimento galopante em Portugal não é novidade. Mas segundo as últimas projecções das Nações Unidas, actualizadas este Verão, até 2050 passaremos da quinta posição no ranking dos países mais envelhecidos do mundo para o terceiro lugar, ficando só atrás do Japão e de Espanha. Estima-se que nessa altura 35,2% da população portuguesa terá mais de 65 anos, fatia que hoje ronda os 20% – ou seja um em cada cinco portugueses tem mais de 65 anos.De dez para sete milhões O envelhecimento associado à diminuição da natalidade traça um cenário duro para o país que, até ver, ainda não tem uma solução à altura. Se a nível global se prevê uma explosão demográfica – com o mundo a atingir os 9,7 mil milhões de habitantes em 2050 e os 11,2 mil milhões em 2100 – em Portugal desceremos dos 10 milhões actuais para os 9,2 milhões em 2050 e para os 7,4 milhões em 2100. Em 2050, por cada 100 portugueses em idade activa haverá 66,4 pessoas com mais de 65 anos. No Japão serão 70,9.

A notícia menos pessimista é que até ao final do século outros países terão problemas maiores de demografia. Em 2100, Singapura será mesmo o local mais envelhecido do mundo, com 40% da população acima dos 65 anos.

FONTE: http://www.ionline.pt/413736?source=social